LANÇAMENTO DO LIVRO RIOFILME: O CINEMA CARIOCA NA LENTE DA HISTÓRIA

Ontem, 03/12, no lançamento do livro RioFilme: O cinema carioca na lente da história, na Biblioteca Parque Estadual, compartilhamos uma tarde de grandes emoções, com a acolhida carinhosa da equipe da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, liderada pela Secretária, Danielle Barros. A cerimônia, para poucos convidados, respeitou as regras de ouro elaboradas para a prevenção da Covid-19, com o objetivo primordial de evitar aglomeração.

O livro é fruto de um projeto cultural e educacional produzido durante a pandemia, quando os treze episódios retratando a história dos cinemas cariocas de rua do século XX foram disponibilizados no site da RioFilme, resgatando a memória histórica e afetiva dos primeiros palácios cinematográficos.

O Presidente da RioFilme, Cesar Miranda Ribeiro, abriu o evento agradecendo o apoio dos profissionais da RioFilme envolvidos no projeto, da SECEC, do Prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, da Secretária Municipal de Cultura, Roseli Duarte, do governo federal através do Centro Técnico Audiovisual (CTAv) e do Deputado Federal Aureo Ribeiro. Ele ressaltou “ o quanto foi importante na nossa gestão, de outubro pra cá, trazermos a luz para esse momento. Não tivemos recursos, mas mesmo assim, procuramos manter acesa a chama do audiovisual, e foi importante porque tivemos o apoio de todos os setores. Esse livro não tem um autor, eu considero que a autoria é da sociedade do nosso estado, da nossa cidade, e que é um presente para o Brasil, porque a RioFilme é carioca, do Rio, do Brasil.”

Em seguida, a Secretária Danielle Barros falou sobre a importância da parceria com a RioFilme, dos desafios que a pandemia impôs para a sociedade e para os gestores, que buscaram caminhos possíveis para que “ a gente pudesse se manter vivo e pra que a gente pudesse produzir vida através das nossas ações”, e citou como exemplo o sucesso do projeto Cinema nas Janelas, “que aproxima a população de um movimento atrelado ao audiovisual, que é tão forte, que é uma das grandes expressões de vocação do nosso estado”. Sobre o livro RioFilme: O cinema carioca na lente da história, ressaltou que “ é só mais o fruto de um trabalho coletivo dessa casa, que de forma harmônica aceitou o desafio de produzir, e produzir resultados, não olhando para as suas limitações, suas dificuldades, seus entraves, mas olhando para as possibilidades de fazer memória, de se autoconhecerem, de se agruparem e de deixarem um legado”.

Ao final da cerimônia, a RioFilme fez a doação de uma relíquia de 1909, o Programa do Cinematógrafo Rio Branco, para o Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro. A importância histórica da peça é caracterizada pela programação dos filmes falantes, grandes sucessos na época, além do registro do primeiro filme de ficção brasileiro, “Seu Anastácio chegou de Viagem”.

Estiveram presentes ao evento, além das equipes da RioFilme e SECEC, o jornalista Rafael Bokor, que participou do livro em duas entrevistas sobre os cinemas Capitólio e Pathé Palace, e a assessora Silmara Leandro, representando a Secretária Municipal de Cultura, Roseli Duarte.